Acervo Imagens Fotográficas

acervo_foto

Este acervo é composto de fotografias digitalizadas cedidas por particulares que as tinham guardadas em álbuns de fotos em geral ou mais especificamente em álbuns de família.

A partir da constituição do acervo, iniciamos outro viés do trabalho museal, que é o de colocar o acervo em exposição, por meios de seleção de temas e ou curadorias específicas.

As imagens deste acervo apresentam modos de vestir, e estes, por sua vez, nos revelam as modas seguidas em uma determinada época, observados nas relações que as pessoas estabelecem com os artefatos. Aqui os artefatos contam histórias, por meio dos sujeitos, e, são meios de disseminar memórias, já que não entendemos a roupa como mera proteção ou superficialidade, e sim como constituinte de identidades. Assim, focaremos o estudo na cultura material e em sua eficácia simbólica. A moda é encarada como reguladora dos modos de vestir, por isso estabelecemos como mote deste acervo a relação entre modos e modas.

Portanto, o acervo digital Imagens Fotográficas oferece um rico material que será exposto permanentemente no formato de Histórias Desveladas, sejam estas histórias narradas pelo próprio cedente, sejam selecionadas, lidas e interpretadas por designers, historiadores, antropólogos, sociólogos, semiólogos, etc.. 

Sendo o nosso museu digital, a fotografia será tratada como documento – objeto de pesquisa-, assim como toda e qualquer imagem produzida para fins museológicos. Para entender melhor nossa proposta, consulte o nosso Conceito museológico e museográfico, na Interface Sobre o MIMo – Conceito.

O acervo Imagens Fotográficas vem sendo trabalhado pela coordenação e centro de pesquisa do MIMo, por pesquisadores e assistentes de pesquisa, por estudantes envolvidos no Grupo de Pesquisa Museu da Indumentária e da Moda: desenvolvimento de um museu digital do Diretório de Grupos de Pesquisa do IBRAM -(Instituto Brasileiro de Museus, por fotógrafos profissionais e por um editor de imagens.

 

Procedimentos com o material cedido para o acervo:

As fotos poderão ser enviadas de forma digital, em alta resolução, para nossa equipe ou trazidas até o nosso escritório, para que possamos digitaliza-las. Sendo assim, vale ressaltar que todas as imagens passarão por um trabalho de tratamento de imagens e digitalização, e as originais serão devolvidas ao dono e ou mantidas em sua forma original, após a digitalização e o cadastro de sua ficha técnica, com a assinatura do termo de cessão de direito de uso da imagem e de som do cedente para o Museu, já que, em alguns casos, a história do cedente será gravada e disponibilizada ao público, por meio de textos e ou vídeos, utilizando da metodologia da história oral, no registro das memórias particulares e sociais. Por isso, as fotos digitalizadas para compor o nosso Acervo Imagens Fotográficas, algumas serão  acompanhadas por uma história oral ou depoimento, devidamente registrada pela equipe especializada do MIMo.

Desta forma, o cedente “Revelará sua Foto”, e o Museu, com seus pesquisadores, parceiros e conselho científico, tecerá leituras e interpretarão das imagens, por meio da memória e da história da indumentária, do design, da moda e áreas afins, inclusive porque cada foto, tratada como unidade museal, deverá ser catalogada, documentada e preservada pelo MIMo. Uma vez revelada a foto pertencerá a uma outra categoria dentro do Museu – a de Exposição Permanente. As exposições terão temas e curadorias convidadas, trazendo a polissemia e polifonia necessárias a um museu contemporâneo.

Portanto, teremos, além de um rico acervo de imagens fotográficas, um banco de dados (reserva técnica) como referência para pesquisa em torno da História da Indumentária, da Moda e do Cotidiano. Ainda, teremos futuramente a possibilidade de cruzarmos essas histórias com a memória das marcas.

Márcia Merlo